Trump mentiu!

Pelo menos desde o final de janeiro último, Donald Trump sabia do alto poder de disseminação e letalidade do novo coronavírus, mas deliberadamente minimizou a gravidade da doença. A confissão de Trump foi divulgada esta semana pelo jornal The Washington Post e pela rede de TV CNN e está incluída no novo livro do jornalista Bob Woodward, A Fúria (The Range), cujo lançamento está previsto para a próxima semana nos Estados Unidos.

Robert Crumb

Nos anos 70, Woodward, em parceria com Carl Bernstein, foi quem desvendou com uma série de reportagens o caso Watergate, que acabou com a renúncia de Richard Nixon.

Desta vez, o jornalista revela que o presidente foi alertado pelo conselheiro de segurança dos Estados Unidos, Robert O´Brien sobre a real dimensão da pandemia e a mortalidade que poderia provocar pelo mundo. “Essa será a maior ameaça à segurança nacional que o sr. enfrentará em sua Presidência.”

O jornalista fez 18 entrevistas na época com Trump. E em trecho da entrevista, gravada no dia 7 de fevereiro, e o chefão da Casa Branca, mostrou-se ciente do que vinha pela frente. “É transmitido pelo ar, Bob. Você só respira e é transmitido assim. Então é algo complicado. (…) As pessoas não imaginam, nós perdemos 25 mil, 30 mil pessoas por ano aqui (em razão da gripe) … Este é mais mortal.”

Em outra passagem, gravada no dia 19 de março, Trump admite que mentiu, para “evitar o pânico entre a população”. E assim prosseguiu a minimizando os efeitos da pandemia e promovendo a utilização de drogas, como a cloroquina, contra as recomendações da OMS e da comunidade científica – e as consequências sobre os americanos que o mundo todo conhece.

Assim como Bolsonaro. O capitão esteve lá nos Estados Unidos, em visita oficial, por essa época. No dia 10 de março, ele dias antes da segunda entrevista de Trump a Woodward, e deu a seguinte declaração à imprensa brasileira. “Obviamente, temos no momento uma crise, uma pequena crise, né? No meu entender, é muito mais fantasia a questão do coronavírus, que não é isso tudo que a grande mídia propala ou propaga pelo mundo todo. … Está sendo superdimensionado o poder destruidor desse vírus.”

Certamente as revelações sobre a conduta de Trump deverão repercutir no processo eleitoral americano. Quanto a Bolsonaro, terá um bom tempo para se explicar até a reta final da campanha. Não é mesmo, capitão?

Deixe uma resposta