Na lista da Forbes, 33 novos biliardários, incluindo o Zé Carioca

Saiu a lista da Forbes Brasil com os mais ricos do país. Por ela ficamos sabendo que mais 33 cidadãos brasileiros se tornaram bilionários no último ano. Ao todo 238 patrícios fazem parte deste ranking especialíssimo.

Juntos detêm uma fortuna de 1,6 trilhão de reais (286,2 bilhões de dólares no câmbio de hoje), o que perfaz uma alta de 33% em relação ao montante do ano passado.

Considerando que a população brasileira estimada para este ano é de 211,8 milhões, tem-se que uma milionésima parte da população brasileira detém cerca de 22% de toda a riqueza nacional.   

Detalhe: segundo a revista, a maioria conseguiu multiplicar suas fortunas graças a investidas na Bolsa, fosse pela oferta e papéis ou pela disparada de suas carteiras.

Entre os felizardos da lista, encabeçada pelo banqueiro Joseph Safra, está Luciano Hang. O autointitulado Véio da Havan figura na 10ª posição da lista de novos bilionários, com um cofrinho recheado com 18,72 bi de reais.

Tá aí uma chance de Hang, aquele tipo que se veste como o Zé Carioca, como definiu o arauto da escatologia Olavo de Carvalho, regularizar suas pendengas com a Receita Federal e a Previdência. Transcrevo parte da matéria da Folha de 23 de junho último.

Dentre os bolsonaristas, Luciano Hang, dono das Lojas Havan, é o recordista em infrações e contestações no Carf, segundo os técnicos. Na Receita, a Havan deve ao menos R$ 57,9 milhões. Há ainda R$ 13,2 milhões em cobrança pela PGFN e mais R$ 123 milhões parcelados pelo último Refis (programa de repactuação de dívidas tributárias).

A Havan já foi multada por ora esconder receitas, ora despesas na contabilidade como forma de gerar resultados menores de tributos a pagar. No caso considerado mais grave, Hang teria sonegado valores devidos em contribuição previdenciária de funcionários se valendo de documento que, segundo ele, comprovaria a existência de créditos a serem compensados.

A Receita, porém, afirma que os créditos nunca existiram. Diante da suspeita de fraude de documento, o órgão encaminhou o caso para o MPF (Ministério Público Federal), em Santa Catarina.

A autuação é de 2013. Em valores corrigidos, Hang deve R$ 2,5 milhões. O empresário cometeu infração semelhante em processo de 2003. Ele foi condenado pela Justiça, mas fez acordo e se livrou da pena.

Consultado, Luciano Hang não quis comentar os casos.

Paulo Guedes deve (ou devia) estar exultante com os resultados conquistados pelos seus – apesar, é claro, do aumento de 27, 6% no último quadrimestre. Mas isso é só um detalhe, não é mesmo?

O que conta mesmo é que com a multiplicação de biliardários, pintou uma chance para o ex-todo-poderoso Posto Ipiranga, atual posto sem bandeira, propor uma mordida (de leve) na bufunfa dos graúdos para assegurar um programa de renda mínima como sonha o capitão. Só pra variar. Em vez de querer morder o andar de baixo como sempre.  Que tal, hein, Guedes?  

Deixe uma resposta