Os caiapós, 64 anos depois do encontro com os Villas Boas

O que terá acontecido com os índios metuktire, membros da nação caiapó, após 64 anos do primeiro encontro com os irmãos Villas Boas. Esse é o ponto de partida da diretora Veronique Ballot para a realização de seu documentário O Segundo Encontro.

Ballot herdou um vasto arquivo fotográfico de seu pai Henri Ballot. Fotógrafo da revista O Cruzeiro, foi ele quem documentou, em parceria com o repórter Jorge Ferreira, essa primeira expedição dos sertanistas, assim como outros contatos pioneiros com os índios do Xingu, no período entre 1952 e 1957. Henri Ballot registrou também todo o processo de negociações que conduziram à criação do Parque Nacional do Xingu, atual Parque Indígena do Xingu.

Com esse material na bagagem, Veronique partiu para lá para registrar a trajetória de vida desses povos pertencentes à etnia caiapó ao longo dessas seis últimas décadas. E também como aquela expedição influenciou suas tradições e relações sociais, além da identidade cultural forjada por eles desde então.

São colhidos depoimentos dos descendentes daqueles líderes indígenas e de alguns sobreviventes, entre eles, Raoni, o grande cacique dos caiapós, que rememoram os antepassados de sua gente em contato com as belas fotos de Henri Ballot, ao mesmo tempo que debatem o seu futuro.

Um momento oportuno para reflexão sobre a existência dos índios brasileiros, em especial da Amazônia e do Brasil Central, quando estes atravessam o período de maior ameaça em toda a sua história.   

O Segundo Encontro é um dos destaques da Mostra On Line É Tudo Verdade (2020), e pode ser acessado pela plataforma do Itaú Cultural.

https://www.itaucultural.org.br/secoes/videos/segundo-encontro-mostra-line-tudo-verdade

Deixe uma resposta