Um projeto para retirar o plástico dos rios da Amazônia

Em meio ao cenário de degradação progressiva, produzida pela política ambiental de Bolsonaro para a Amazônia, certas iniciativas soam como intervenções restauradoras. Uma delas é a impulsionada pelo projeto Amazônia Eco-Sustentável, da Associação de Desenvolvimento Econômico e Financeiro Ambiental do Estado da Amazônia.

A missão da Aaceam Ambiental é a coleta, transporte, triagem e reciclagem de resíduos plásticos retirados de rios e outras áreas naturais do bioma. Conta com um exército de aproximadamente 70 catadores associados e outros 150 colaboradores indiretos, responsáveis pelo processamento de uma média de 600 toneladas de detritos plásticos ao mês. Todo o trabalho de coleta e transporte é feito por balsas que cruzam regularmente os rios da região rebocando as unidades coletoras.

Balsa coletora cruza o rio Solimões/AACEAM Ambiental

O Eco-Sustentável é 100° projeto de gestão de resíduos integrante do Hub de Ação Circular, uma plataforma destinada a agregar empreendedores sociais ao redor do mundo, interessados em neutralizar ou minimizar os rastros de resíduos plásticos de sua cadeia de produção.

Está presente em cerca de 40 países em cinco continentes, reunindo cooperativas e demais entidades que operam com coleta, reciclagem e educação ambiental. O Aaceam está completando um ano de existência. Foi lançado em julho do ano passado no escopo da BVRio, associação sem fins lucrativos, criada há uma década, a fim de propor e viabilizar junto ao mercado soluções que atendam diferentes segmentos de preservação ambiental.

A meta de curto prazo da Aaceam é expandir sua área de ação além dos cinco municípios próximos a Manaus, aumentando em até 70% os valores atuais de arrecadação e reciclagem.

Contam para isso com novos recursos e estimativas do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis, que apontam a existência de 800 mil catadores ativos no Brasil, que coletam 90% doe tudo que é reciclado no país.   

Deixe uma resposta